foto2-1.jpgfoto2-2.jpgfoto2-3.jpg

Entre todos os entes que há,

     

Entre todos os entes que há, há um Ser, e não mais que um pode ser, e eterno, jamais deixará de ser, e de Si mesmo, só Ele pode dizer:

- Ego sum qui sum!*

Este Ser, por ser assim, e de Si mesmo, dizer o que diz, só pode ser o Esse ipsum subsistens**, portanto, por tanto de Si dizer, e tanto ser, só Ele criou - e jamais deixará de fazê-lo - todos os entes do ex-nihilo***, a ser assim, por mim, e por quaisquer semelhantes meus, nada diferente posso dizer, além do que digo, neste instante: não sou o que sou, pois o que fora no pretérito, já não mais consigo ser presente, com efeito, o ente que eu poderia ser agora, está por vir, logo, no porvir ainda se encontra, à vista disto, resta-me concluir:

Sou assim, ou antes, assim estou a ser, e de forma diferente, não posso fazê-lo. Esta grande verdade só não me escraviza, porque a cada momento, dela eu me livro, tornando-me outro ente humano; ainda assim, se tal fuga tivesse termo, termo, antes, teria eu; por tão necessário que é em mim, este caráter, dele não me liberto, mas por conta dele, conto sempre com esta conclusão, que a mim mesmo, digo agora, ou antes, sempre disse, e de dizer, jamais poderei deixar:

 - Memento homo, quia pulvis est, tu in pulverem reverteris ****.

 

* - Ex 3, 14 - Ego sum qui sum - Eu sou o que sou!

** - Esse ipsum subsistens - O próprio Ser subsistente

*** - ex-nihilo - Nada

**** - Gn 3, 19 - Memento homo, quia pulvis est, tu in pulverem reverteris - Lembra-te homem, que és pó, e em pó te hás de converter.

 

 

PS - Fico-lhe muito obrigado pela sua visita. Se ler mais, ainda que seja por acaso, caso a menos, não farei da sua atenção.


Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar